GRIPE SUÍNA: MORTES, MÁSCARAS E MUITA CONFUSÃO


















Embora as autoridades digam que está tudo sob controle, ferve na internet e no boca a boca por aí que a gripe suína está matando muito mais do que se divulga. Dados do Ministério da Saúde dizem que, desde 25 de abril, foram registradas 368 mortes no País. Já pelas contas das secretarias estaduais de saúde, o número de mortes poderia chegar a 384 até o dia de ontem – 18/8.

A foto acima, registrada nos primeiros minutos da madrugada de 13/8, no Pronto-Socorro Central de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, mostra pessoas de máscara aguardando atendimento médico. Uma visão apavorante, principalmente, para quem está sem máscara e com sintomas de gripe, como era o meu caso naquele momento. Cheguei a imaginar que, se não estava com a suína, seria contaminado ali mesmo no PS. Mas felizmente era a minha velha e ‘boa’ rinite, e as máscaras, de acordo com o médico que me atendeu, poderiam ser atribuídas ao “alarmismo” que toma parte de boa parte da população.

Mais três mortes atribuídas à gripe suína foram registradas no último final de semana em São Bernardo. As vitimas são dois homens - um de 45 e outro de 50 anos - e uma mulher de 25 que morreram com quadro de doença respiratória aguda grave. O município contabiliza, até o momento, seis vítimas fatais da doença. Foram confirmados 88 casos de gripe A na cidade. Desse total, quatro continuam internados e 78 já tiveram alta. No momento, 42 pessoas estão internadas com suspeita da doença e aguardam resultado de exame.

Na Região do ABC, 19 pessoas já morreram vítimas da gripe A. Diadema tem cinco óbitos, enquanto Santo André possui quatro ocorrências. São Caetano do Sul contabiliza três casos e Ribeirão Pires informou uma morte. Apenas Mauá e Rio Grande da Serra ainda não registraram vítimas fatais da doença.

A boataria, porém, é enorme. Já ouvi funcionários públicos de diferentes níveis cochichando que os números são bem maiores em todo o Brasil, e que o governo estaria escamoteando as informações para não alarmar ainda mais a população. Ouvi de fonte confiável que um hospital particular do ABC, que não é referência, teria atendido um número exorbitante de pacientes com a doença, com um número igualmente elevado de óbitos.

Pela internet correm e-mails apavorantes, dizendo que jornais, rádios e tevês fazem parte desse conluio para não divulgar os números reais. Há inclusive declarações atribuídas a personalidades do mundo científico, prevendo horrores. Um desses e-mails começa assim:

“Sem querer apavorar, já avisando. Uma de nossas pesquisadoras é chefe de infectologia do HC e está responsável pelos pacientes com a gripe. Até hoje, de todos internados na UTI do HC com a doença, nenhum resistiu. Eles não estão conseguindo internar as pessoas porque só há 15 vagas na UTI do HC e há mais de 800 testes que ainda não correram.”

Como se vê há muito confusão sobre o assunto. Portanto, pelo sim, pelo não, o melhor é observar os cuidados básicos para evitar o contágio, como se pode ver abaixo, na arte extraída da Folha OnLine:



Nenhum comentário: