Em Iperó, pertinho de Aramar, o milionário centro de experiências nucleares da Marinha

ENCHENTES PÕEM EM RISCO O QUE RESTA
DA REAL FÁBRICA DE FERRO DE IPANEMA

Enquanto o Centro Experimental de Aramar, em Iperó, há mais de duas décadas consome verbas e mais verbas para desenvolver o combustível para o submarino nuclear da Marinha, ou coisa parecida, as chuvas e enchentes ameaçam prédios e bens históricos únicos, remanescentes da Real Fábrica de Ferro de Ipanema, a primeira siderúrgica brasileira.
O governador José Serra alardeou pelo twetter na madrugada desta terça-feira (22/12) que visitou Aramar e ficou encantado. Nenhuma palavra sobre o pouco que resta desse sítio histórico ameaçado, que também fica em Iperó, cidade a 130 quilômetros da capital.
Segundo informou recentemente a agência Estado, as águas do Ribeirão Ipanema passaram sobre o vertedouro da Represa de Heideberg, a primeira grande barragem do Brasil, construída em 1811.
A enchente alagou a Casa da Guarda, construída na mesma época, e atingiu a Porta da Maioridade, moldada em ferro, em 1841, para marcar a emancipação do imperador d. Pedro II. O portal foi inaugurado pelo próprio imperador, em 1846.
A abertura das comportas para evitar o rompimento da barragem fez a força das águas colocar em risco também o prédio da Fábrica de Armas Brancas, construído em 1865 com pedras de cantárida. Surgiram grandes fendas no piso sobre o canal e infiltrações na parede.
Todo o conjunto é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e, com o sítio dos Altos-Fornos, não atingido pela enchente, foi declarado patrimônio universal pela Associação Mundial de Produtores de Aço, com sede nos Estados Unidos.
O sítio histórico fica no interior da Floresta Nacional (Flona) de Ipanema, mantida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O chefe da Flona, Alexandre Cordeiro, disse que o assoreamento da represa agravou os efeitos da cheia. "A capacidade de segurar a água está muito reduzida e tivemos de abrir as comportas para reduzir o risco para a barragem."
A represa produziu energia hidráulica para a fabricação de ferro entre 1811 e 1912, quando a fábrica foi desativada. Cordeiro vai pedir uma verba de emergência ao governo para desassorear o lago e refazer as vedações da barragem. "São necessários cerca de R$ 4 milhões", disse.
Leia mais em http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia.phl?editoria=39&id=246445
http://www2.mre.gov.br/dai/b_argt_278_755.htm

Em tempo: pelo Twetter, no final da tarde de 23/12, a Secretaria de Cultura do Estado respondeu às críticas do NP. Confira a argumentação do governo:
@noticiapopular @joseserra_ Em resposta o seu tweet: Remanescentes da Real Fábrica de Ferro de Ipanema, Floresta Nacional Ipanema - Iperó...foram tombados ex-officio pelo CONDEPHAAT em 1974. Diz a legislação: bens tombados na área do Estado pelo IPHAN...serão inscritos nos Livros do Tombo respectivos, a fim de se beneficiarem c/ obras e iniciativas do Conselho. ...Há levantamento fotográfico de 97. Em 2008, foi realizada nova vistoria, que não constatou irregularidades. ...Ao receber notícias sobre alagamentos, CONDEPHAAT procurou os responsáveis e o local estava fechado p/ visitação. ...O órgão planeja nova vistoria qdo for possível agendar; IPHAN será contatado p/ informar sobre ações na área.

Também via Twetter, a nossa resposta:@CulturaSP Obrigado pela atenção. De qq forma NP ficará de olho. Lembrando: o chefe da Floresta Nacional avalia em 4 mi as obras de reparo.

TUDO CULPA DO FURA-PITTA

Terminal Sacomã emperra
vida de moradores do ABC


Não bastasse o ‘Fura-Pitta’ (que Deus o tenha) ter consumido uma fortuna em recursos para ligar lugar nenhum a porcaria nenhuma – pra não dizer outra coisa –, ainda existe o Terminal Sacomã, que só serve para atrapalhar a vida de quem mora no ABC, em especial São Bernardo do Campo.

Quando chegamos à estação Alto do Ipiranga (linha verde do Metrô) praticamente já avistamos São Bernardo do Campo. No entanto, somos obrigados a fazer uma baldeação de quatro quarteirões para poder pegar ônibus rumo a SBC, no famigerado Terminal Sacomã.

Ônibus como esse da foto, superlotados, pelo qual ainda temos de pagar R$ 1,20. Por que não deixar os ônibus de SBC subirem a Gentil de Moura, como podem fazer os de São Caetano do Sul? Por que obrigar pessoas que chegam cansadas do trabalho a tomar mais uma condução lotada?

Absurdos do país das Olimpíadas 2016

Casal 20 vai à luta e prende o policial
safado que clonou placa do seu carro

Leia a notícia que se segue, retirada da Folha OnLine, e veja que absurdo. Um casal teve de bancar a polícia, para apreender veículo clonado por um policial, caso que a delegacia de polícia não pode resolver - por que será, heim? Bom, mas o certo é que o casal 20 conseguiu localizar e prender o policial bandido, coisa que a polícia não fez. Leia a história:

Uma professora de 44 anos e seu marido conseguiram flagrar um policial civil que havia clonado o carro deles e causado um prejuízo de cerca de R$ 2.000 em multas. O suspeito foi preso pela Polícia Militar e pode ser expulso da corporação.
Silvana Aparecida Borges Gonçalves tem um veículo Corsa, que utiliza para se deslocar entre sua casa, em Arthur Alvim (zona leste de São Paulo), e o centro da cidade, onde trabalha.
Neste ano, no entanto, ela começou a receber multas por infrações de trânsito cometidas na avenida Inajar de Souza, na Vila Penteado (zona norte), por onde não costuma trafegar.
Com as autuações e os muitos pontos registrados na carteira de habilitação, a professora acabou perdendo o direito de dirigir. Suspeitando que seu carro havia sido clonado, ela procurou uma delegacia em julho e registrou sua suspeita.
Como a polícia não solucionou o caso, a professora decidiu agir por conta própria. Com a ajuda do marido, que é motorista de ônibus, foi à avenida Inajar de Souza e ficou à espera do carro clonado.
De acordo com a Polícia Civil, quando avistou o veículo, por volta das 16h45 da última quarta-feira, ela pediu ajuda a policiais militares que patrulhavam a área. O motorista do Corsa clonado foi abordado e sua identidade foi, então, revelada: era um policial civil.
A polícia descobriu, que além de ter adulterado uma placa, o suspeito estava usando um carro que havia sido apreendido pela polícia em dezembro de 2005 na região da Casa Verde (zona norte) e que ainda não havia sido devolvido ao dono.
O policial foi levado ao plantão do 72º Distrito Policial (Vila Penteado) e depois para a Corregedoria da corporação. Teve a arma e o distintivo apreendidos e foi encaminhado ao presídio da Polícia Civil.
Ele irá responder pelos crimes de estelionato e adulteração de identificação de veículo automotor. O carro clonado foi submetido à perícia para verificar se tinha peça ou componente roubado. A polícia descobriu que a placa original do veículo era de São Caetano do Sul (na Grande SP).
A Corregedoria da Polícia Civil investigará também como o veículo apreendido passou a ser usado pelo policial civil suspeito e se havia conhecimento de seus superiores.

Recadastramento de armas vai até 31 de dezembro de 2009, sem choro nem vela

SAIBA COMO LEGALIZAR SEU TRABUCO
E SE SAFAR DE DORES DE CABEÇA

Se você possui um trabuco ou vários, a oportunidade de fazer o recadastramento sem custo, burocracia ou necessidade de exames e testes vai somente até o final do ano. O prazo final para o recadastramento obrigatório é dia 31 de dezembro. Impreterivelmente. Depois dessa data, quem não tiver recadastrado estará cometendo o crime de posse ilegal de armas, que pode render cana de um a três anos e multa.

"No referendo realizado em 2005, as pessoas optaram pelo direito de ter armas em casa como uma forma de legítima defesa. Mas para que isso seja feito de maneira correta, é preciso fazer o recadastramento", explica Salesio Nuhs, diretor-institucional da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam), que, em parceria com a Polícia Federal, realiza a Campanha Nacional de Recadastramento de Armas desde julho deste ano.

"As armas que estão com os cidadãos de bem não são as envolvidas na criminalidade. Na maioria das vezes, elas são herdadas de familiares ou doadas por amigos", completa o diretor.

Para incentivar a regularização das armas em todo o País e facilitar ainda mais o acesso da população a este serviço obrigatório e gratuito, a Polícia Federal e a Aniam vêm realizando uma série de ações itinerantes.

Essa iniciativa soma-se a outras maneiras simples e sem burocracia de efetuar o recadastramento de armas, que pode ser feito em uma das 2 mil lojas especializadas, em uma das unidades da Polícia Federal, em uma das 6 mil agências dos Correios ou pelo site www.recadastramento.org.br. Mais de três milhões de pessoas fizeram o recadastramento.

O que fazer - Os documentos que devem ser apresentados são cópias autenticadas do RG, CPF, comprovante de residência e, se tiver, registro antigo da arma. Não é preciso levar a arma. Para recadastrar não há necessidade de realizar exames e teste.

"As ações itinerantes que acontecem simultaneamente em vários Estados, como a parceria com a Aniam e os Correios, facilitam o recadastramento de armas e alcançam boa receptividade. Elas funcionam como mais um lembrete ao cidadão para que cumpra uma obrigação dentro do prazo estabelecido", define o delegado Douglas Saldanha, chefe do Serviço Nacional de Armas da Polícia Federal.

Todo o cidadão brasileiro ou naturalizado, maior de 25 anos, tem o direito de adquirir até seis armas de uso permitido. Recadastrar é a única forma de garantir o direito de manter a arma em casa. 
 
Saiba mais clicando http://www.recadastramento.org.br/ ou http://recadastreja.blogspot.com/

Se você é jornalista e quer fazer matéria a respeito entre em contato comigo, fazendo um comentário nesta postagem ou ligando para (11) 3874.2039 ou 3424.8089.
 
ARMA ESPECIAL - E já que falamos em armas, vale a pena curtir a foto abaixo de uma arma que está exposta numa tradicional loja de camping do centro de São Paulo. E, antes que o Ibama venha atrás de mim, quero dizer que o trabuco aí não funciona, é de brincadeirinha...
 

Nas imediações da MTV

PRAÇA E CALÇADAS DO SUMARÉ
TOMADAS POR MATO E CAPIM


Enquanto chove sem parar e o prefeito Kassab culpa São Pedro pelos transtornos que enlouquecem a cidade, o mato cresce adoidado nas calçadas e na Praça Rubens do Amaral, bem pertinho da MTV, no Sumaré.

Na pracinha não se sabe o que é planta ornamental, o que é capim barba de bode, sem contar tiririca e outras ervas que medram graciosas em calçadas sem calçamento nas imediações.

Com a palavra a subprefeitura responsável pela região.


O mendigo desmaiou depois de ver uma onça pintada na pracinha

Autor deu entrevista à Rádio Bandeirantes e ao Jornal da Tarde, entre outras mídias


REVOLUÇÃO DOS BOYS
BOMBANDO NA MÍDIA


Lançado recentemente neste blog, Revolução dos Boys, do jornalista Gilberto Lobato Vasconcelos, o Giba,  está bombando na mídia. Basta consultar o Google para constatar minha afirmação.
Dia 7/11, Giba falou ao vivo sobre o livro aos jornalistas Marcelo Duarte e Silvania Alves do programa Você é Curioso?, da rádio Bandeirantes AM 840 e FM 90.9.
No dia 30/11, o livro rendeu reportagem (veja foto abaixo) de página inteira no caderno Variedades, do Jornal da Tarde.
Em Revolução dos Boys, Giba destrincha um episódio que, há 30 anos, deixou São Paulo de pernas pro ar e pegou de surpresa a truculenta repressão da ditatura militar que reinava no País.
 A coisa se deu no dia 14 de setembro de 1979, uma sexta-feira, quando cerca de mil pivetes que trabalhavam como office boys resolveram detonar o centro de São Paulo, numa revolta sem alvo definido, mas que mostrou, conforme o subtítulo do livro, a "face oculta da cidade".

(clique para ampliar)