Absurdos do país das Olimpíadas 2016

Casal 20 vai à luta e prende o policial
safado que clonou placa do seu carro

Leia a notícia que se segue, retirada da Folha OnLine, e veja que absurdo. Um casal teve de bancar a polícia, para apreender veículo clonado por um policial, caso que a delegacia de polícia não pode resolver - por que será, heim? Bom, mas o certo é que o casal 20 conseguiu localizar e prender o policial bandido, coisa que a polícia não fez. Leia a história:

Uma professora de 44 anos e seu marido conseguiram flagrar um policial civil que havia clonado o carro deles e causado um prejuízo de cerca de R$ 2.000 em multas. O suspeito foi preso pela Polícia Militar e pode ser expulso da corporação.
Silvana Aparecida Borges Gonçalves tem um veículo Corsa, que utiliza para se deslocar entre sua casa, em Arthur Alvim (zona leste de São Paulo), e o centro da cidade, onde trabalha.
Neste ano, no entanto, ela começou a receber multas por infrações de trânsito cometidas na avenida Inajar de Souza, na Vila Penteado (zona norte), por onde não costuma trafegar.
Com as autuações e os muitos pontos registrados na carteira de habilitação, a professora acabou perdendo o direito de dirigir. Suspeitando que seu carro havia sido clonado, ela procurou uma delegacia em julho e registrou sua suspeita.
Como a polícia não solucionou o caso, a professora decidiu agir por conta própria. Com a ajuda do marido, que é motorista de ônibus, foi à avenida Inajar de Souza e ficou à espera do carro clonado.
De acordo com a Polícia Civil, quando avistou o veículo, por volta das 16h45 da última quarta-feira, ela pediu ajuda a policiais militares que patrulhavam a área. O motorista do Corsa clonado foi abordado e sua identidade foi, então, revelada: era um policial civil.
A polícia descobriu, que além de ter adulterado uma placa, o suspeito estava usando um carro que havia sido apreendido pela polícia em dezembro de 2005 na região da Casa Verde (zona norte) e que ainda não havia sido devolvido ao dono.
O policial foi levado ao plantão do 72º Distrito Policial (Vila Penteado) e depois para a Corregedoria da corporação. Teve a arma e o distintivo apreendidos e foi encaminhado ao presídio da Polícia Civil.
Ele irá responder pelos crimes de estelionato e adulteração de identificação de veículo automotor. O carro clonado foi submetido à perícia para verificar se tinha peça ou componente roubado. A polícia descobriu que a placa original do veículo era de São Caetano do Sul (na Grande SP).
A Corregedoria da Polícia Civil investigará também como o veículo apreendido passou a ser usado pelo policial civil suspeito e se havia conhecimento de seus superiores.

Um comentário:

Raquel Rivera Soldera disse...

Já ouvi algumas histórias sobre policiais clonarem placas de carro e usá-las. É um absurdo!