PAU QUE NASCE TORTO MORRE TORTO

ENQUANTO GAROTO DÁ EXEMPLO DE DIGNIDADE
GOVERNADOR DO DF MOSTRA SUA CARA DE PAU

Em Capela do Alto, na região de Sorocaba, o menino Wesley Momesso Ramos, 11 anos, foi homenageado pela prefeitura local com um diploma e um troféu. Motivo: achou e devolveu uma bolsa com jóias e dinheiro.
Vivêssemos nós numa sociedade mais avançada, isso não seria motivo de prêmio. Seria, sim, um ato normal, corriqueiro, pois o que é nosso é nosso o que é do outro é do outro. Mas, como vivemos numa sociedade onde muitos – principalmente os políticos – querem levar vantagem em tudo, o gesto desse pequeno catador de latinhas ganha contornos de dignidade, de exemplo de vida, e prova que nem tudo está perdido.
O ato magnífico desse garoto, que, em vez de brincar com os coleguinhas, cata latas de alumínio para ajudar no sustento da família, se contrapõe à ironia e à desfaçatez do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que, com a maior cara de pau do mundo, depois de protagonizar cenas explícitas de corrupção e desonestidade, vem a público para dizer que está pedindo perdão pelos seus pecados e que “perdoa” aqueles que, indignados, querem vê-lo no mínimo fora do governo:
“Perdoo, a cada dia, os que me insultam. Entendo as suas indignações pelas forças das imagens. E, sabem por que eu perdoei? Porque só assim eu posso também pedir perdão dos meus pecados", desculpou-se Arruda diante dos servidores do DF, como se isso fosse suficiente para limpar a ficha de um homem público que fez cocô em cima dos eleitores que nele depositaram sua confiança.
Enquanto isso, em Capela do Alto, “sem entender direito o motivo de tanto assédio e poupando palavras”, como enfatizou o jornal sorocabano Cruzeiro do Sul (http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia.phl?editoria=36&id=254301), o pequeno Wesley contou que seus colegas chegaram a sugerir a divisão do dinheiro, proposta que ele recusou na hora:
"Falaram para ficar com o dinheiro, mas eu escondi debaixo da camiseta e corri levar pra Guarda Municipal”, disse Wesley, que ajuda em casa com aproximadamente R$ 7,00 a cada venda de latinhas.
Tomara o reconhecimento a Wesley não fique só no diploma e no troféu. É preciso que os poderes públicos de Capela do Alto, do Estado de São Paulo e do Brasil vejam também a situação dos milhões de wesleys que temos em todos os recantos do País. Vamos investir na educação e na melhoria de vida dos nossos wesleys, para evitar ou tentar impedir que cheguem ao poder criaturas como o governador do DF.
Essas duas histórias, tão díspares, mostram mais uma vez a sabedoria dos ditados populares: 1) É de pequeno que se torce o pepino; 2) Pau que nasce torto morre torto.

Nenhum comentário: