UMA IMAGEM X MIL PALAVRAS

Quando comecei no jornalismo, era comum a expressão 'uma imagem vale por mil palavras'. Sempre invejei os colegas do fotojornalismo, porque iam mais cedo para o bar. E também porque num clique conseguiam dizer muito mais do que eu com as letrinhas.
Quantas vezes saí com o José Maria da Silva ou o José Luiz Conceição para cumprir minhas pautas pelo NP. Nós chegávamos da rua, eles iam para o laboratório e em seguida deixavam um monte de fotos na minha mesa. E, muitas vezes, as fotos até dispensavam o meu pobre e enchedor de linguiça texto.
Enquanto eles saíam para o boteco, eu ficava batucando a reportagem numa máquina Royal mil novecentos e moraes sarmento. Fazia a sugestão de chamada, as legendas das fotos e claro o texto da reportagem, dividido, quando era matéria de capa, em no mínimo uma retranca, ou seja um subtítulo.
Hoje em dia, não tenho mais inveja de ninguém. O Zé Maria está aposentado e o Zé Luiz na ativa, mas, claro, em outro jornal.
Sempre gostei de fotografar. Nos meus tempos de assessor de imprensa da prefeitura, em Boituva, tinha uma K 1000, da Pentax. Adorava fazer as fotos sem usar flash. Só na base do fotômetro.
Fotômetro ou fotómetro, para os filhos da era digital, é um aparelho que mede a intensidade da luz. Vinha embutido na máquina. Minha boa K 1000, que eu esqueci num ônibus no começo dos anos 2000, era completamente analógica e tinha um fotômetro embutido.
Mas hoje, em tempos de megapixels, não dá para invejar os meninos da fotografia. A foto acima, fiz com um celular com câmera de dois megas. Sem querer me gabar, está boa pra caramba.
Não precisa de palavras. Explica-se por si. Homens e mulheres com o olhar cansado de fim de dia, pegando um ônibus - lotadaço - para ir para casa. Percebe-se que nem mesmo quem está sentado sente-se confortável. Enquanto isso os políticos - deslocando-se de helicópteros - perdem-se em promessas que jamais vão cumprir sobre o transporte público...
Mas por que estou falando tanto. Clique na foto para aumentá-la e dê sua própria interpretação.

Nenhum comentário: