VAQUINHAS DO BEM

JOANA COW E VACA-BONDE NÃO
DÃO 'REFRESCO' PRA NINGUÉM

Pois é. Eu vi duas das 90 vacas que ficarão expostas até março pelas ruas e outros locais da cidade de São Paulo, no evento muncialmente conhecido como a Cow Parade.
A primeira que eu vi foi no Terminal Sacomã, a Joana Cow, da artista Teca Michele, onde a bichinha, sentada, está estilizada como uma joaninha. A outra - Vaca-Bonde - , do artista plástico Marcelo Calado, eu vi na Estação Mercado, do Fura-Pita.
Animal sagrado na Índia, a vaca, neste caso, é o símbolo de um movimento artístico internacional. Mais de quatro mil delas já passearam por 58 cidades do mundo. Depois de expostas, elas são leiloadas, e o dinheiro vai para instituições sociais.
Muito gostoso encontrar essas vaquinhas. Principalmente quando a gente sabe que elas não são 'vaquinhas de presépio', como a maioria dos políticos que temos, dizendo amém a todas as sacanagens do Executivo em nível federal, estadual e municipal, e que não têm tetas, pra político safado mamar...
São apenas vaquinhas do bem.

Um comentário:

Anônimo disse...

Caro Soldera,

Fiquei contente, feliz mesmo, em saber de você nas páginas do Unidade. É claro que a primeira coisa que fiz, assim que cheguei na repartição, foi abrir o seu blog. Estávamos precisando de coisas assim para resgatar o espírito e o clima do antigo NP, e também do Diário Popular, do DCI e outros jornais.
Um grande abraço,

Miura, Newton M.