NP pauta Estadão em matéria sobre coronéis

“Metade das subprefeituras de SP está
na mão de coronéis aposentados da PM”

No dia 17/10, NP manchetou: Coronéis comandam subprefeituras de Sampa/ 13 dos 31 subprefeitos de SP são ligados à Polícia Militar. No dia 20/10, o Estadão, abriu duas páginas sobre o assunto no caderno Metrópole, com o título acima.
NP levantou a lebre e “O Estado de S. Paulo” foi atrás. Depois da chagada da internet, acabou o furo de reportagem, acabou a exclusividade. Ninguém é de ninguém.
Não pense, porém, o leitor que NP está triste com a matéria do Estadão. Não. Isso demonstra a seriedade de nosso modesto blog. É claro que gostaríamos de ser citados na matéria, mas aí é pedir demais.
A reportagem do Estadão levantou aspectos interessantes sobre a questão, como a falta de cintura dos coronéis para lidar com a população e as entidades de bairro.
Tudo, porém, segundo apurou o jornal, dentro do estilo centralizador que o prefeito NunKassab implantou em relação às subprefeituras.
Se antes elas tinham mais verbas e atribuições, como cuidar de saúde, educação e obras, hoje não passam de meras zeladorias... Daí a designação de coronéis como subprefeitos.
Diante disso, NP pergunta:
1) Por que manter a denominação de ‘subprefeituras’?
2) Não seria mais fácil retornar à denominação anterior de ‘adminstração regional’?
3) O gigantismo de São Paulo, uma verdadeira cidade-estado, não justifica uma administração descentralizada, com gente realmente talhada para exercer funções administrativas?

Confira a versão eletrônica da matéria do Estadão.

Coronéis comandam subprefeituras de Sampa

13 dos 31 subprefeitos de SP
são ligados à Polícia Militar

Alertado por leitores, NP correu os olhos pela lista de subprefeitos paulistanos e constatou algo muito esquisito: 13 dos 31 subprefeitos de São Paulo são ligados à Polícia Militar, boa parte da reserva e alguns na ativa.
Nada contra a instituição da Polícia Militar, mas imagina-se que o cargo exija pessoas com larga experiência administrativa, que tenham exercido funções relacionadas à gestão da coisa pública.
Não seria nada de se estranhar um ou outro ex-PM ou PM estar no comando de subprefeitura. Mas 1/3 deles ter ligações com a corporação, venhamos e convenhamos, é esquisito.
Ninguém quer aqui denegrir o currículo de nenhum deles, mas eles trazem afirmações no mínimo curiosas como qualificações para ocupantes de tais cargos.
Um deles, por exemplo, diz que o subprefeito, que é coronel da PM, “adquiriu experiência na administração pública ao exercer o cargo de chefe de gabinete”.
Outro currículo de subprefeito ressalta o fato de seu dono ter participado “da organização da cerimônia de exéquias do ídolo Ayrton Senna”.
Confira as informações sobre cada um deles e tire suas conclusões:

Aricanduva / Vila Formosa: Carlos Roberto Albertin, tenente-coronel PM
Cidade Tiradentes: Paulo Regis Salgado, Pós-graduação em Segurança Pública pelo Centro de Aperfeiçoamento e Estudos Superiores da Polícia Militar do Estado de São Paulo.
Freguesia/Brasilândia: Izaul Segalla Junior, coronel da Reserva da Policia Militar do Estado de São Paulo.
Ipiranga: Vitória Brasília de Souza Lima, coronel da Polícia Militar.
Itaim Paulista: João dos Santos de Souza, coronel da Polícia Militar.
Jabaquara: Roberto Costa, coronel da Reserva da Polícia Militar
Jaçanã Tremembé: José Francisco Giannoni, coronel da Reserva da Polícia Militar.
Mooca: Rubens Casado, coronel da Reserva da Polícia Militar.
Santana Tucuruvi: Sérgio Teixeira Alves, coronel da Reserva da Polícia Militar.
Santo Amaro: Ailton Araújo Brandão, coronel da Reserva da Polícia Militar.
São Mateus: Ademir Aparecido Ramos, oficial da Reserva da Polícia Militar.
: Nevoral Alves Bucheroni (Coronel Bucheroni), é coronel da Reserva da Polícia Militar.
Vila Mariana: Manoel Antônio da Silva Araújo, coronel da Reserva da Polícia Militar.

A marvada pinga que me atrapaia...

Apresentador bebe no ar
e vai pro olho da rua

Essa aconteceu na Finlândia e, com certeza, vai virar Top Five no CQC. O apresentador de TV Kimmo Wilska - cujo nome lembra outra bebida igualmente alcoólica -  foi flagrado fingindo que bebia uma breja enquanto apresentava um programa ao vivo pela emissora YLE.
O programa do cara mostrava uma reportagem sobre consumo de bebidas quando Wilska resolveu simular que estava tomando cerveja.
A brincadeira era para ser vista apenas pelos colegas do apresentador, mas quando a gravação terminou ele não conseguiu esconder a garrafa e acabou derramando a bebida no próprio terno. Danou-se. Foi posto no olho da rua.
Veja como foi a brincadeira.

Celular Implacável NP

Esgoto a céu aberto a dez
passos da Avenida Paulista

Onde você acha que a câmera do Celular Implacável NP captou essa imagem? De uma quebrada do mundaréu na periferia imensa da louca metrópole paulistana? De uma rua de São Bernardo do Campo, que de campo não tem mais nada, e que apesar de berço do Lulismo peca pela falta de segurança, atendimento de saúde precário e outras mazelas?
Pois é, como já entregamos no título, o esgotinho a céu aberto, que vemos na foto de um celular Nokia, fica bem em frente ao número 2.050 da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, a poucos passos da glamurosa Paulista, a avenida-símbolo de São Paulo, em plena Cidade Limpa do prefeito Nunkassab.
Para piorar, a eterna poça de água suja, que acumula o lixo e os tocos de cigarros atirados pelos passantes, fica no meio-fio de um movimentado ponto de ônibus. Assim, dependendo da proximidade com que o busão passa do meio-fio, o povo parado no ponto corre o risco de levar respingos da água imunda do esgotinho...
(clique na foto para ampliá-la)

Celular Implacável NP - Quase todo mundo hoje dispõe de um celular com câmera. Com esse post convidamos os leitores a enviar ao NP imagens dos descalabros da administração pública em qualquer canto do planeta. Precisamos, é claro, que os arquivos de imagens venham acompanhados de detalhes e de identificação clara de quem fez o flagrante. O material deve ser enviado via comentário no blog ou pelo e-mail amsoldera@gmail.com