NP pauta Estadão em matéria sobre coronéis

“Metade das subprefeituras de SP está
na mão de coronéis aposentados da PM”

No dia 17/10, NP manchetou: Coronéis comandam subprefeituras de Sampa/ 13 dos 31 subprefeitos de SP são ligados à Polícia Militar. No dia 20/10, o Estadão, abriu duas páginas sobre o assunto no caderno Metrópole, com o título acima.
NP levantou a lebre e “O Estado de S. Paulo” foi atrás. Depois da chagada da internet, acabou o furo de reportagem, acabou a exclusividade. Ninguém é de ninguém.
Não pense, porém, o leitor que NP está triste com a matéria do Estadão. Não. Isso demonstra a seriedade de nosso modesto blog. É claro que gostaríamos de ser citados na matéria, mas aí é pedir demais.
A reportagem do Estadão levantou aspectos interessantes sobre a questão, como a falta de cintura dos coronéis para lidar com a população e as entidades de bairro.
Tudo, porém, segundo apurou o jornal, dentro do estilo centralizador que o prefeito NunKassab implantou em relação às subprefeituras.
Se antes elas tinham mais verbas e atribuições, como cuidar de saúde, educação e obras, hoje não passam de meras zeladorias... Daí a designação de coronéis como subprefeitos.
Diante disso, NP pergunta:
1) Por que manter a denominação de ‘subprefeituras’?
2) Não seria mais fácil retornar à denominação anterior de ‘adminstração regional’?
3) O gigantismo de São Paulo, uma verdadeira cidade-estado, não justifica uma administração descentralizada, com gente realmente talhada para exercer funções administrativas?

Confira a versão eletrônica da matéria do Estadão.

Nenhum comentário: