Sabesp enlouquece população em São Bernardo

Buracos da Sabesp ‘picotam’ ruas
e infernizam a vida dos moradores
O vereador Paulo Dias (PT) afirma que a Companhia Estadual de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) atua na contramão da história em São Bernardo do Campo, prestando um serviço que não condiz com os investimentos feitos em várias áreas pelos governos municipal e federal.
Na metade seu primeiro mandato como vereador, Paulo, que foi o 8º candidato mais votado nas últimas eleições municipais, destaca que os problemas causados pela Sabesp são responsáveis pelo maior número de reclamações provenientes dos moradores de São Bernardo do Campo há muito tempo.
“Se pegarmos os jornais de 2006 ou 2007, lá estavam prefeito e vereadores batendo na Sabesp pela melhoria dos serviços prestados. Estamos em 2011 e o tema é o mesmo. São dezenas de vazamentos e buracos que a Sabesp não tampa e quando tampa, o faz muito mal”, diz Paulo, citando alguns exemplos.
“O governo municipal tem realizado grandes obras, como o recapeamento da Estrada dos Casa. No entanto, a via está toda ‘picotada’ de buracos. Na Rua Maringá, no Jardim Represa, bairro onde resido, contei mais de 30 buracos. Em frente à minha casa, tem um buraco de 20 metros, resultado de uma galeria que estourou, que está aberto há uns 70 dias. Já falei com o chefe, o gerente e o superintendente da Sabesp, mas não tive sucesso. A relação coma Sabesp no município é muito conflituosa, difícil”, reclama.

Multas leves – Segundo Paulo, as reclamações dos munícipes são constantes e tomam conta das agendas de praticamente todos os 21 vereadores da Câmara de São Bernardo do Campo. “Infelizmente, o que podemos fazer é pressionar a Secretaria de Obras para que cobre da concessionária as providências necessárias. Por lei, quem tem de tapar os buracos é a própria Sabesp, mas ela se utiliza de serviços terceirizados de péssima qualidade, parecendo mais interessada em criar do que solucionar problemas. Além disso, os contratos firmados são muito folgados, com multas leves, não permitindo rigidez na cobrança dos serviços realizados.”
Diante desse panorama, de acordo com o vereador, ganha importância a manifestação popular. “Ela rende frutos, pois a Sabesp, que é uma empresa de economia mista, gasta muito com publicidade e propaganda. Se houver pressão popular, seja via legislativo, executivo ou imprensa, mancha-se a reputação da empresa, o que vai levar os acionistas a solicitar providências à direção da companhia.”

Reportagem originalmente publicada no jornal São Bernardo Hoje, de São Bernardo do Campo, edição de 15 a 31/3. Confira.

Nenhum comentário: