TINHA UMA MESA DO MEIO DO CAMINHO...

 "No meio do caminho tinha uma pedra/ tinha uma pedra no meio do caminho"... Ou seria uma mesa? Que o poeta Carlos Drummond de Andrade, de onde quer que esteja, nos perdoe, mas não houve como não brincar com a ideia quando NP recebeu a foto tirada pela internauta Lourdes Maria, moradora de Santo André, no ABC.
 A simpática pracinha, que fica no bairro onde ela reside, vira e mexe serve de local de 'desova' de móveis e outros entulhos que os lixeiros não recolhem. E, como nos escreve Lourdes, parodiando o poema de Drummond:
"Nunca me esquecerei desse acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do caminho tinha uma pedra, ou que no meio da pracinha tinha uma mesa..."
Para não perder a viagem confira o poema em vários idiomas..

E A MESA CONTINUARÁ NO MEIO
DA PRACINHA POR MUITAS LUAS
Na primeira noite, a mesa ficou intacta, no mesmíssimo lugar. Porém, na...

...na segunda noite foi quebrada, embora continuasse no mesmíssimo lugar
Devarinho a mesa vai sumindo, mas sempre no mesmo lugar


Nenhum comentário: