Trens da CPTM têm média de uma pane por semana

Rede da Caixa Preta do Transporte
Metropolitano encolhe 8 km em 1 ano
Reportagem do jornal Estadão de 7/4 mostra que a malha ferroviária da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que o NP prefere chamar de ‘Caixa Preta do Transporte Metropolitano’ encurtou 8,3 quilômetros em um ano.
Segundo o jornal, embora a demanda de passageiros seja crescente – 9,1% nos últimos dois anos –, de 2010 para cá a rede diminuiu cerca de 3%, ficando à disposição dos sofridos usuários 252 quilômetros de trilhos.
Neste período, destaca a reportagem, trechos de duas linhas férreas deixaram de transportar passageiros. Inicialmente, a desativação aconteceu num trajeto de 6,3 quilômetros na Linha-8, Diamante, entre as Estações Amador Bueno e Itapevi.

Brás virou o fim da linha Turquesa
DESATIVAÇÃO ATRÁS DE DESATIVAÇÃO Depois, mais precisamente a partir de agosto, a CPTM desativou a circulação de passageiros entre entre as Estações Brás e Luz da Linha 10 -Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra), alegando que executaria obras de modernização no trecho.
Não modernizou porcaria nenhuma e, no começo deste ano, a empresa informou que havia decidido não reabrir o trecho, o que causou a revolta de milhares de usuários, notadamente da região dão ABC paulista, como a internauta Mila Morel, que numa extensa mensagem ao Notícias Populares, o blog, rasgou o verbo contra a tal CPTM. (Confira aqui a bronca)
A reportagem do Estadão ainda mostra que a empresa, que tem a responsabilidade de atender diariamente 2,3 milhões de passageiros, que embarcam em 89 estações espalhadas por 22 cidades da Região Metropolitana de São Paulo, ultimamente tem registrado uma pane por semana.

Apesar da proibição, vende-se de tudo
JORNALISTA PAGA O PATO O secretário estadual de Transportes e responsáveis pela CPTM vivem dando desculpas esfarrapadas para esse serviço porco, mas ninguém explica para onde vai a fortuna que entra todo dia nos cofres da companhia, uma vez que os usuários gastam no mínimo 6 reais por dia (ida e volta) para utilizar a ferrovia. Multiplique-se os R$ 6 por 2,3 milhões e o resultado é uma mina de dinheiro todo dia.
Não bastasse o mau atendimento, recentemente os seguranças da CPTM trataram de forma truculenta um repórter da Rádio Bandeirantes que cobria mais uma das panes rotineiras da empresa. O jornalista foi salvo pelo povão, que agiu em seu favor, lembrando que ele entrara na composição pagando passagem como qualquer passageiro e estava cumprindo o seu dever profissional.
Aliás dever profissional é um conceito que parece não existir na  CPTM. Notícias Populares, o blog, recebeu na última semana fotos de um usuário da Linha Turquesa, mostrando que apesar da proibição repetida insistentemente pelo sistema de som dos três e das estações, pedintes e ambulantes fazem a festa durante os itinerários.

Esmola e papo animado no celular
PEDINTE COM PINTA DE EXECUTIVO Nas fotos do usuário, que não quis que seu nome fosse divulgado, aparecem um adolescente vendendo balas e um pedinte que aparenta ter uma atrofia nas pernas e se locomove num carrinho de rolemã.
O autor das fotos diz que já viu o pedinte várias vezes e ele segue uma verdadeira rotina de trabalho, como se fora um executivo.
“Depois de pedir suas esmolas, o pedinte, que anda sempre com o cabelo bem ajeitado e com roupas limpas, estaciona seu carrinho próximo à porta, abre a pochete e tira um celular mais bacana que o meu. Faz uma ligação e fica jogando conversa fora animadamente até a próxima estação, quando certamente vai descer e entrar em outro vagão”, conta o usuário, lembrando que ninguém mexe com o cidadão.

3 comentários:

David da Silva disse...

Quando leio os apelidos destas linhas da CPTM, constato que é a primeira vez que vejo merda com nomes de pedras preciosas.
É uma lástima, um verdadeiro flagelo urbano termos um governo estadual que prioriza o automóvel, e um governo federal que, por birra politiqueira, não investe no transporte de massas da Grande São Paulo.

Antonio Marcos Soldera disse...

E não é por falta de dinheiro, não. São 2,3 milhões de passageiros/dia a R$ 6, ida e volta, imagine a fortuna que dá.

Edinaldo Consultor de Planos de Saúde disse...

Sou usuário da CPTM desde 2006 o que não entendo onde estão os seguranças da CPTM os famosos Policia Ferroviaria no qual raramente vemos nos trens, para banir estas pessoas que pedem esmolas e incomada a nossa viagem.