‘Trecho norte do rodoanel tem traçado ilegal’

VEREADOR ZÉ AMÉRICO GARANTE
QUE A OBRA VAI FERRAR CAPITAL
O vereador paulistano José Américo Dias (reeleito pelo PT) afirma que o projeto do trecho norte do Rodoanel Mário Covas trará prejuízos econômicos, sociais e ambientais a São Paulo, pois fere o Plano Diretor da cidade e também a legislação federal do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).
Segundo Zé Américo, “a cidade não pode ser mais uma vez prejudicada por uma obra improvisada, feita a toque de caixa. O Estado e o município de São Paulo têm recursos financeiros e uma reserva de competência na engenharia, que poderiam ser aplicados para encontrar outras soluções para o transporte na área norte da região metropolitana", afirma o vereador, que enviou ofício ao secretário de Desenvolvimento Urbano, Miguel Bucalem, questionando a legalidade do projeto.

Manda-chuva admite mancada No final de outubro, o próprio presidente do Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, admitiu que o traçado do trecho norte do Rodoanel ainda tem indefinições. A declaração foi feita em Guarulhos, em reunião com empresários, na sede da Associação Comercial e Empresarial da cidade.
"Existe uma série de ajustes locais que vão sendo construídos ao longo da obra. Então não é que não queremos divulgar, mas simplesmente porque isso vai sendo discutido e acertado ao longo da construção", disse o manda-chuva do Dersa.
Mas para Zé Américo, o buraco é mais embaixo:"O Dersa não pode divulgar o traçado definitivo para se resguardar das mobilizações dos atingidos e, principalmente de ações judiciais, já que o trecho norte do Rodoanel desrespeita as normas do Conama e do Plano Diretor de São Paulo. Uma rodovia classe zero não pode passar a menos de 20 quilômetros do centro da cidade e o Rodoanel Norte está a menos de dez...É uma obra inteiramente ilegal", diz o vereador petista.

Bronca já chegou a Brasília Para o engenheiro ambientalista Mauro Victor, conselheiro do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), "não existe controle social" da obra do Rodoanel, onde o solo urbano virou uma mercadoria na qual o Plano Diretor e o interesse público não prevalecem.
Victor já esteve reunido inclusive com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, para apontar os vacilos do Conama e do Ibama, que aprovaram o projeto, apesar de uma série de furos constatados por especialistas.
A bronca já seguiu para a Presidência da República e de lá para a Controladoria Geral da União (CGU), que está reavaliando as aprovações.

Nenhum comentário: