De pires na mão, Santas Casas pedem misericórdia

COM AS CONTAS NO VERMELHO EM 12 BI,
HOSPITAIS IMPLORAM MAIS GRANA DO SUS
Santa Casa de São Paulo: fundada há quatro séculos é referência hospitalar
As Santas Casas de Misericórdia, que nasceram praticamente junto com o Brasil, existindo desde 1539, vivem constantemente em situação de penúria, tendo iniciado o ano de 2013 com R$ 12 bilhões em dívidas.
Por isso, buscando a misericórdia que sempre deram, mas que nunca receberam do poder público, o MovimentoTabela do SUS! Reajuste Já, que reúne santas casas e Hospitais Filantrópicos de todo o país, vai realizar, na próxima segunda-feira, dia 25/2, um encontro na Assembleia Legislativa de São Paulo para propor novas ações em busca de um urgente reajuste na tabela de procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS).
Os representantes do setor alertam que sem a reformulação da tabela – medida básica para o início de uma recuperação financeira – o atendimento ao SUS feito pela rede beneficente pode entrar em colapso.
Com os R$ 12 bilhões no vermelho e considerando o déficit anual de R$ 5 bilhões nos contratos e convênios com o SUS, as instituições entrarão o ano da Copa – 2014 – devendo R$ 17 bilhões.

Congressistas caros e inoperantes Sem grana, muitos hospitais vão fechar ou diminuir sensivelmente o atendimento, ferrando ainda mais o já sofrido povão brasileiro. O rombo ocorre principalmente pela defasagem na tabela do SUS, que paga, em média, somente R$ 65 de cada R$ 100 efetivamente gastos pelas instituições na assistência pública.
Uma ninharia que deveria causar vergonha em nossos governantes e em especial em nossos congressistas, que, segundo um levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU), integram o segundo legislativo mais caro do mundo, só perdendo para o big brother Estados Unidos.
Segundo o estudo, que envolve 110 países, cada um dos 594 parlamentares do Brasil – 513 deputados e 81 senadores – custa aos cofres públicos a fortuna US$ 7,4 milhões por ano. Primeiros do ranking, os congressistas americanos custam anualmente US$ 9,57 milhões cada.

Ministério não está nem aí Dia 12 de dezembro o Movimento entregou ao Ministério da Saúde a “Carta de Votuporanga”, documento onde expôs essa realidade e reivindicou providências indispensáveis para o início de um processo de recuperação financeira.
Esperava-se uma manifestação do MS até o dia 31 de janeiro, o que até hoje, 20 de fevereiro de 2013 não ocorreu. Este silêncio será o principal item da pauta do encontro, para o qual é esperada a presença de mais 200 representantes, entre autoridades e gestores do setor filantrópico de todo o País.
A Fehosp  (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo) e as Frentes Parlamentares de Saúde e das Santas Casas da Assembleia Legislativa de São Paulo serão os anfitriões do encontro, que acontece dia 25/2, a partir das 10 horas, no auditório Paulo Kobayashi (Andar Monumental) da Assembleia Legislativa de São Paulo, na avenida Pedro Álvares Cabral, 201, Ibirapuera, capital.

Veja vídeo sobre a Santa Casa de São Paulo, uma referência hospitalar na América Latina

Nenhum comentário: