NEGOCIAÇÃO, SIM, MAS SEM SACANEAR DIREITOS DO TRABALHADOR, EXIGE PRESIDENTE DA CTASP

Deputado federal Orlando Silva, novo presidente da Comissão de Trabalho da Câmara: união para frear reforma trabalhista
“Negociação patrão-empregado está na Constituição. Mas negociação de mais direitos, nunca menos.” Com esta ponderação o deputado federal Orlando Silva (PC do B) assumiu a presidência da Comissão de Trabalho e Administração de Serviços Públicos (CTASP) da Câmara, em solenidade que reuniu inúmeras lideranças do movimento sindical e de representantes da Justiça e do Ministério Público do Trabalho, dia 3/4, no auditório do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo, no bairro da Liberdade. A escolha do deputado do PC do B (SP) como novo presidente da CTASP ocorreu no último dia 23/3, através de votação interna na Câmara Federal, em Brasília.
Na posse, durante cerca de duas horas, juízes, desembargadores, procuradores, sindicalistas e políticos fizeram suas considerações a respeito da importância da Comissão, sobretudo neste momento de apreensão para os trabalhadores com o projeto da reforma trabalhista encaminhado pelo presidente Michel Temer ao Congresso Nacional.
Galera lotou auditório do Sindicato dos Eletricitários para prestigiar a posse
PAGANDO O PATO Entre às autoridades que compuseram à mesa, o desembargador e ex-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas), Lorival Ferreira, ressaltou o trabalho de Orlando Silva, como representante na Câmara Federal dos interesses dos trabalhadores e criticou a onda de opiniões contra a justiça trabalhista, que alguns querem que pague até o pato do desemprego gigante que tomou conta do país.
“Como ex-presidente do TRT estive em várias oportunidades na Câmara Federal na luta pela aprovação dos projetos de interesses do tribunal da minha região e pude conhecer o trabalho do deputado, que já era membro da comissão. E neste momento delicado que o país vive, onde ‘resolveram’ que a Justiça do Trabalho é responsável por todos os males. Outro dia, um deputado numa total ignorância, chegou a acusá-la de responsável pelo desemprego. Só que justamente é o contrário, nós intermediamos os conflitos e resolvemos. Vejam agora com a liberação do Fundo de Garantia: 200 mil trabalhadores não puderam receber porque simplesmente as empresas descontaram do salário dos trabalhadores, mas não recolheram. Agora imaginam se não fosse a Justiça do Trabalho? Imaginam tudo sendo encaminhado para a justiça comum! Por isso a importância de um deputado combativo no comando da Comissão de Trabalho”, disse.
ATAQUES À CLT E À JUSTIÇA Após a fala dos demais membros da mesa, onde muitos destacaram os ataques à CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), que está na pauta do Congresso com a reformas Trabalhista e Previdenciária e, a conclamação dos sindicalistas presentes à greve geral marcada para o próximo dia 28, o deputado Orlando Silva mandou o recado de como pretende conduzir a CTASP.
“Resolvemos fazer esse evento para firmarmos compromisso, apenas a posse lá em Brasília, dia 23, seria uma coisa muita fria. Sobre os ataques que a Justiça do Trabalho vem sofrendo lembro ainda a declaração do próprio presidente da Câmara dos Deputados, de que ela tinha que acabar. Olhem o absurdo. Além de analisar os projetos antes de encaminhá-los para votação, a Comissão é importante como um local de debate e de denúncia e neste momento, onde a agenda neoliberal dos anos 90 voltou com força, é importante debatermos o papel do estado como indutor do desenvolvimento e denunciar esses ataques aos direitos sociais e se ficarmos calados, com certeza, será o fim de todas as conquistas sociais. Negociação patrão-empregado, de fato, está na Constituição. Mas negociação de mais direitos, nunca menos direitos”, bronqueou o deputado.
(Reportagem de Francisco Souza)